Psico, o quê?

 Um pequeno glossário.

psy

Psique: Em grego o radical psiquê significa mente ou alma (lembrem-se do mito de Eros e Psiquê). Sem ir para a metafísica ou religião, nesse sentido seria as faculdades cognitivas, o que inclui consciência e inconsciência, percepção, raciocínio, pensamento, memória e personalidade.

Psicologia:  ciência comportamental, cognitiva, biológica e social que estuda as faculdades mentais e o comportamento primordialmente individuais. Os ramos aplicados da psicologia incluem a psicologia organizacional, educacional, clínica e aconselhamento (embora no Brasil essas duas áreas sejam consideradas uma só). O termo foi cunhado por um alemão (Rudolph Goclenius ou Melanchton) no século XVI e em 1672 ganhou uma conotação médica na De anima brutorum de Thomas Willis. Vista inicialmente como parte da filosofia, seu marco fundante como ciência foi a criação do laboratório de psicologia experimental na Universidade de Leipzig em 1879. Um psicólogo para atuar no Brasil tem de estudar graduação em psicologia por cinco anos e estar inscrito no Conselho Regional de Psicologia. Saiba mais na BVS Psicologia Brasil

Psiquiatria: é uma especialidade médica dedicada a cuidar de transtornos de comportamento, cognição, percepção, memória, temperamento, personalidade e motivação. Compartilha com a psicologia clínica o objetivo de aliviar e prevenir sofrimentos mentais, porém distingue-se dessa disciplina psicológica pela possibilidade de utilizar medicamentos psicoterapêuticos. Para ser psiquiatra deve-se fazer a faculdade de medicina, especializar-se e fazer residência em psiquiatria.

Psicoterapia: existem cerca de um milhar de terapias sancionadas pelas sociedades de psicologia e psiquiatria. São métodos para atender o bem-estar e a saúde mental do paciente/sujeito/cliente. Psicoterapeutas clínicos *deveriam* ser gente com formação, psicólogo ou psiquiatras, mas sempre aparece alguém oferecendo “psicoterapia quântica” ou qualquer outra invencionice.

Psicanálise: teorias e método de análise da psiquê criado por S. Freud e desenvolvido por C.G. Jung, Alfred Adler, Erich Fromm, Jacques Lacan dentre outros. Parte das premissas que a dinâmica de componentes operacionais (Ego, Id, Superego) moldam a pessoa, inclusive causando-lhe transtorno. Embora haja várias contribuições teóricas e práticas da psicanálise, não há respaldo científico para as diferentes abordagens psicodinâmicas. Para ser um psicanalista, a pessoa deve fazer análise por alguns anos e estar tutelado por uma associação. Não necessariamente precisa ser médico ou psicólogo.

Parapsicologia: é o estudo de fenômenos insólitos. Não exatamente relacionado com a psicologia. Chamado também de forteana (ou antropologia experimental pelo esquecido pioneiro no Brasil, Pe. Landell de Moura), investiga alegações de mediunidade, sonambulismo, levitação, hipnotismo, fantasmas, UFOs, criptozoologia e milagres. Não é considerada ciência propriamente dita, mas uma curiosidade antiquária pelo excêntrico. Não existe nenhum requisito acadêmico ou profissional para se chamar parapsicólogo.

SAIBA MAIS SOBRE PSICOLOGIA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

About leonardomalves