Hillel: responsabilidade e oportunidade

"Se eu não for por mim, quem será por mim? E se estou apenas para mim, o que sou eu? E se não agora, quando?"

Toulmin: os seis elementos de uma argumentação

Um modelo de argumentação para redigir um artigo científico ou dar uma resposta honesta a uma criança curiosa.

Informe-se sobre vacinas

A vacina é um produto para induzir com segurança uma resposta imune que proteja contra infecção ou doença na exposição subsequente a um patógeno. Para o sistema imunológico ser capaz de enfrentar a doença, a vacina deve conter antígenos derivados do patógeno ou produzidos sinteticamente. Pastoralistas do atual Sudão empregavam a inoculação de agentes imunizantes... Continuar Lendo →

Posições metaéticas

As posições meta-éticas e o dilema do bonde

Amor ao próximo, ódio ao distante

Quantas pessoas você tem coragem de matar agora a distância? Essa questão, por monstruosa que seja, já faz parte do cotidiano. Antes era um mero exercício de pensamento de alguém tocar uma campainha e lucrar com a morte de um chinês no outro lado do mundo. Hoje, com um mero clique propaga-se informações que levam... Continuar Lendo →

O anel de Giges

O que você faria se fosse invisível?

A terra não vos alimentará?

Observações argutas e sensatas de um ancião indígena brasileiro.

Contribuições a uma cultura de probidade

Conjunto de ações que desestruturariam a cultura de corrupção.

Os estágios morais de Kohlberg

Como nos tornamos seres morais? Como aprendemos distinguir entre o certo e o errado? Esse estudo experimental em psicologia dá pistas da nossa moralidade.

O Mandarim

No fundo da China existe um mandarim mais rico que todos os reis de que a fábula ou a história contam. Dele nada conheces, nem o nome, nem o semblante, nem a seda de que se veste. Para que tu herdes os seus cabedais infindáveis, basta que toques essa campainha, posta a teu lado, sobre um livro. Ele soltará apenas um suspiro, nesses confins da Mongólia. Será então um cadáver: e tu verás a teus pés mais ouro do que pode sonhar a ambição de um avaro. Tu, que me lês e és um homem mortal, tocarás tu a campainha?

Um site WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: