Antagonímia: ou a semântica sendo irônica

Palavras cujos significados são o oposto do que aparentam.

Línguas românicas orientais minoritárias

Quando mencionam as línguas e os povos latinos logo cita-se o italiano, o francês, o espanhol (ou castelhano, para ser neutro), o português e, sempre alguém lembra do primo distante, o romeno. Mas, outras línguas latinas existem, como o nacionalista catalão, que é a língua oficial de um país: Andorra, além de uso regional na... Continuar Lendo →

Parece grego: processos mentais

Anagnórise: levante a mão quem nunca teve uma dessas. É aquele momento ahá! quando as coisas se tornam claras. Vem de ἀναγνώρισις, reconhecer, e um dos mais dramáticos eventos da literatura clássica foi a hora que Édipo descobre que cometera incesto e parricídio. Uma versão mais contemporânea de cair a ficha é essa cena em... Continuar Lendo →

Uma introdução à linguística

A linguística estuda cientificamente a língua como ela é. Por registrar a língua em diferentes situações e em uso por diversas comunidades de falantes, a linguística permite conhecer os mecanismos de uma comunicação eficaz. Longe de se basear em prescrições, este “bem falar” não é a aderência ou conformidade a um modelo restrito de comunicação... Continuar Lendo →

Saussure e seus signos

Ferdinand de Saussure (1857-1913) elaborou uma relevante teoria dos signos que impactou a linguística, a teoria da literatura, a antropologia e a teoria da comunicação, além de ser um dos fundadores da semiótica e da teoria estruturalista.

O Círculo Hermenêutico para leituras críticas

O Círculo Hermenêutico é uma maneira reflexiva de interpretar dados com base em outras informações. A hermenêutica é a arte e o método de interpretar significados expressos textualmente. Como disciplina, a hermenêutica estuda e sistematiza os processos para construção e justificação dos sentidos de um texto ou de um análogo ao texto (artefatos, cultura material, ritual, organização e outros).

Funções da linguagem e a construção do sentido para Jakobson

A questão de como a linguagem consegue transmitir ideias de maneira coerente tanto ao emissor quanto a sua audiência fascinou a filósofos, linguistas e psicólogos. Uma das mais célebres teorias da comunicação foi proposta pelo linguista Roman Jakobson (1896–1982). Coube a ele desenvolver uma teoria e método de crítica literária para narrativas e poesia conhecido... Continuar Lendo →

Umberto Eco: a criação do leitor modelo

Sua bagagem cultural e versatilidade fazem de Umberto Eco um exemplar romancista, cronista, crítico, semiótico, filósofo, medievalista, etc, etc, etc...Mas, há mais dele que mereça ser lido. À parte de suas obras de ficção (O nome da rosa a mais popularmente conhecida), algumas de suas obras de teoria da comunicação A Obra Aberta, O Papel... Continuar Lendo →

Ithkuil: um relato borgeano

O aposentado John Quijada passou as horas vagas de seus trinta anos como funcionário do departamento de trânsito de Sacramento, Califórnia elaborando com minúcias um idioma sem ambiguidade, polissemia, inexatidão, ilógica, redundância ou arbitrariedade. Com um inventário de 58 fonemas, a língua é facilmente pronunciada por falantes autóctones do tchetcheno, abcázio ou do !xóõ. [1]... Continuar Lendo →

Hipótese Sapir-Whorf

As ideias de Edward Sapir (1884–1939) e Benjamin Lee Whorf (1897–1941) acerca do condicionamento recíproco entre a percepção e a linguagem e, consequentemente, com efeitos na cultura.

Um site WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: