Paradigmas em ciências sociais

Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana. Carl Gustav Jung

Encontrar uma abordagem teórica que direcione uma pesquisa nas ciências sociais é um desafio tanto para investigadores iniciantes quanto para os experientes. O pesquisador pode ter suas preferências (e vieses) teóricas, mas por vezes o objeto, objetivo e foco do estudo demandam um diferente ponto de vista com maior poder explicativo. Pressupostos escondidos do não iniciado, terminologias com nuances distintas, literatura obsoleta – fatores todos que fazem de cada projeto de pesquisa um verdadeiro novo curso para o cientista social. Isso antes de coletar e analisar os dados.

Como ainda não há um tabela periódica das teorias, aqui estão as principais. Selecionei algumas teorias mais representativas atualmente em uso, especialmente aquelas que desrespeitam as fronteiras entre as diferentes ciências sociais.

As teorias abaixo são tipos ideais, reduzindo as particularidades existentes sob cada paradigma. Nem todas são originalmente teorias das ciências sociais, algumas têm base nas humanidades. Portanto, são para serem usadas com critério: não dá para usar a microbiologia em uma única espécie de árvore para generalizar a dinâmica ecológica de uma floresta inteira. Cada pesquisa requer um design apropriado. Por vezes, uma teoria cabe em duas categorias. Por exemplo, a teoria da práxis considera tanto a agência quanto a estrutura. Como resultado dessa complexidade, as teorias são apresentadas em contraste entre si.

Uma analogia geográfica sucinta explica a relação entre ontologia, epistemologia e os paradigmas das ciências sociais. A ontologia delimita o ser, como um dado território (o modo pelo qual delimitamos uma área e a configuramos como um território). Os meios de conhecê-lo (não a respeito de métodos e instrumentos, mas em questão de percepções) seria a epistemologia, incluindo as projeções. Os paradigmas definiriam qual aspecto considerar. Os diferentes paradigmas seriam os diferentes mapas temáticos, tais como mapas de relevo, demográfico, ambiental ou político.

ontologia

Por vezes, uma teoria cabe a mais de uma categoria e há sua versão distinta para ontologia, epistemologia, metodologia, método, técnicas de investigação e métodos de análise. Por essa razão, antes de listar as perspectivas teóricas, há uma rápida passagem pelas principais teorias em ontologia e epistemologia dos fenômenos sociais.

Inicialmente, é necessário ter consciência de como se constitui a realidade e como ela é percebida. As principais perspectivas ontológicas apresentam-se nas seguintes oposições:

  • Racionalismo x empirismo:
  • Idealismo x materialismo
  • Realismo x nominalismo x conceptualismo

epistemologia

Uma vez determinados os pressupostos da realidade, deve-se ter consciência de como seria possível conhecê-la. As principais abordagens epistemológicas são as abaixo

Objetivismo

  • Positivismo
  • Pós-positivismo
  • Realismo crítico
  • Racionalismo crítico

Subjetivismo

  • Neokantismo
  • Pós-Kantismo (Fries-Nelson)
  • Teorias críticas
  • Pós-subjetivismo
  • Pós-modernismo

Interpretativismo

  • Fenomenologia
  • Hermenêutica
  • Pesquisa narrativa
  • Neo-retórica
  • Interacionismo simbólico

Construtivismo

  • Interacionismo simbólico (yeap, interseção com o interpretativismo)
  • Pragmatismo
  • Inquirição naturalística e realismo naturalista
  • Grounded-theory
  • Etnociência e etnometodologia

Dialética

  • Neohegelianismo
  • Materialismo histórico, teorias marxistas
  • Teorias críticas
  • Psicodinâmica, psicanálise
  • Modernismo e Pós-modernismo

Modos de representação da realidade

Além dessas teorias, há três modos epistemológicos de compreender e representar a realidade:

PERSPECTIVAS TEÓRICAS

Teorias centradas na agência e na estrutura: a questão agência x estrutura é central nos estudos sociais. Agência é a capacidade de iniciativa de agir com propósito e volição, influenciando o mundo externo a si. A estrutura considera principalmente as configurações inorgânicas, orgânicas e superorgânicas como relevantes para providenciar o contexto das ações individuais.

AGÊNCIA

  • Teorias marxistas, Escola de Frankfurt, marxismo estrutural
  • Teorias feministas, teoria queer e teoria dos gêneros
  • Existencialismo
  • Teoria da estruturação
  • Estudos subalternos, pós-colonialismo, estudos culturais
  • New historicism
  • Microhistória
  • Pensamentos de Foucault, De Certeau, Boudieu e Žižek
  • Teoria do sistema-mundo
  • Economia política
  • Teorias da resistência
  • Transacionalismo
  • Teoria ator-rede
  • Escola de Palo Alto
  • Filosofia política de Strauss, Voegelin e Arendt
  • Utilitarismo
  • Escolha racional, teoria das trocas
  • Economia neoclássica, microeconomia
  • Psicanálise de Lacan, Adler
  • Pós-estruturalismo, Deconstrução
  • Teoria do discurso (Foucault, Pecheaux)
  • Teoria da Práxis

ESTRUTURA

  • Funcionalismo, estrutural-funcionalismo
  • Teoria da estruturação
  • Teorias marxistas, Escola de Frankfurt, marxismo estrutural
  • Gramsci
  • Nova Economia Institucional
  • Teoria da dependência e do sistema-mundo
  • Comunitarismo
  • Teoria dos sistemas, cibernética, teoria da contingência
  • Escola dos Annales
  • Psicanálise freudiana e junguiana
  • Estruturalismo
  • Teoria ator-rede
  • Escola sociológica alemã clássica (Weber, Sombart, Simmel, Tönnies)
  • Formalismo russo
  • Semiótica, semiologia
  • Construção Social da Realidade
  • Inteligência coletiva, Pierre Lévy
  • Teoria dos sistemas e teoria da complexidade
  • Ecologia cultural
  • Materialismo cultural

Teorias centradas no indivíduo ou na coletividade: O individualismo parte do indivíduo como fonte e unidade de análise. Já o coletivismo metodológico examina da totalidade existente fora do indivíduo, pressupondo a realidade autônoma da coletividade, com suas próprias características e comportamentos, que não se resume à soma de ações individuais.

INDIVIDUALISMO METODOLOGÓGICO

  • Psicanálise
  • Pós-feminismo
  • Microhistória
  • Escolha racional
  • Utilitarismo
  • Teorias da resistência
  • Neo-retórica
  • Análise do Discurso
  • Teoria Ator-Rede
  • Interacionismo simbólico
  • Escola sociológica alemã clássica (Weber, Sombart, Simmel, Tönnies)
  • Filosofia política de Strauss, Voegelin e Arendt
  • Escola de Toronto (McLuhan)
  • Microeconomia
  • Economia behaviorista
  • Escola austríaca de economia, monetarismo
  • Construção Social da Realidade
  • Teoria fundamentada (Grounded Theory)

COLETIVISMO METODOLOGÓGICO

  • Teorias marxistas
  • Estruturalismo
  • Macroeconomia
  • Inteligência coletiva, Pierre Lévy
  • Teoria dos sistemas
  • Ecologia cultural
  • Materialismo cultural
  • Antropologia dinâmica francesa
  • Teorias do Estado-Nação (Benedict Anderson, Gellner)

Teorias centradas na coesão ou no conflito: teoria que assume como pressuposto da natureza humana como fundamentalmente colaboradora ou em conflito com base em auto-interesses.

COESÃO

  • Sociologias de Louis G. A. Bonald, Joseph de Maiste, Claude Saint-Simon, Auguste Comte, Durkheim
  • Sociologias de Johan Fichte, Adam Müller, Friedrich Gentz, Lorenz von Stein, W. Riehl, Ferdinand Tönnies
  • Funcionalismo
  • Escola Sociológica de Chicago, estudos de comunidade
  • Estrutural-Funcionalismo
  • Comunitarismo
  • Teoria dos sistemas
  • Teorias psicológicas do amor e do afeto
  • Antropologia econômica substantivista
  • Gramsci
  • Nova Economia Institucional
  • Idealismo/Liberalismo em Relações Internacionais

CONFLITO

  • Sociologias de Spencer, Ernest Renan
  • Teorias marxistas, Escola de Frankfurt
  • Teorias feministas, teoria queer
  • Teorias de identidade e teoria dos gêneros
  • Existencialismo
  • Teoria da estruturação
  • Estudos subalternos, pós-colonialismo, estudos culturais
  • Pensamentos de Foucault, Boudieu e Žižek
  • Teologia da libertação
  • Teoria do sistema-mundo, teoria da dependência, teorias da globalização
  • Economia política e estudos camponeses
  • Teorias da resistência
  • Antropologia política africanista
  • Antropologia dinâmica francesa
  • Transacionalismo
  • Filosofia política de Strauss, Voegelin e Arendt
  • Pós-estruturalismo, Deconstrução
  • Teoria do discurso (Foucault, Pecheaux)
  • Antropologia econômica formalista
  • Neorealismo em Relações Internacionais
  • Teorias do Contrato Social, Neo-contratualismo

Tempo e espaço: teorias diacrônicas e sincrônicas levam em conta se um presente etnográfico ou outra forma de limitação do tempo é levado em consideração na análise.

DIACRONIA

  • Evolucionismo
  • Difusionismo
  • Particularismo histórico
  • Etnohistória
  • Teorias da globalização
  • Teorias marxistas
  • Economia política
  • Escola dos Annales
  • Escola sociológica alemã clássica (Weber, Sombart, Simmel, Tönnies)
  • Teoria da dependência
  • Teoria do sistema-mundo

SINCRONIA

Teorias materialistas e idealistas:  a distinção é baseada em fenômenos tangíveis (tecnologia, ambiente, cultura material, processos envolvendo recursos) e ideológicos (ethos, ideologia, instituições ou psique).

MATERIALISMO

  • Particularismo histórico
  • Ecologia cultural
  • Materialismo cultural
  • Teorias ecológicas
  • Arqueologia Processual
  • Antropologia dinâmica francesa
  • Teoria Ator-Rede e Vida Social das Coisas
  • Sociobiologia
  • Psciologia evolucionária

IDEALISMO

  • Cibernética e pensamento de Gregory Bateson
  • Teorias cognitivas
  • Psicanálise
  • Teorias marxistas (yeap! Nesse ponto de vista não são tão materialistas assim…)
  • Teorias críticas
  • Existencialismo
  • Interpretativismo
  • Pensamentos de Foucault, De Certeau, Boudieu e Žižek
  • Antropologia Simbólica
  • Interacionismo Simbólico
  • Hermenêutica
  • Fenomenologia
  • Pós-modernismo
  • Estruturalismo
  • Pós-estruturalismo
  • Deconstrução
  • Análise do Discurso
  • Pensamentos de Bourdieu e de Pierre Lévy

Teorias particularistas e universalistas: enquanto a primeira abordagem visa entender um fenômeno com os termos próprios de cada comunidade, a última abordagem intenciona delinear princípios subjacentes a todas as culturas e sociedades.

PARTICULARISMO

  • Particularismo histórico
  • Funcionalismo
  • Pós-modernismo
  • Grounded Theory
  • Etnociência
  • Microhistória
  • Positivismo jurídico
  • Realismo jurídico

UNIVERSALISMO

  • Estruturalismo
  • Teorias marxistas
  • Estrutural-funcionalismo
  • Sociobiologia
  • Teoria do sistema-mundo
  • Escola de Comparação Transcultural
  • Jusnaturalismo

SAIBA MAIS

COLLINS, Randall. As quatro grandes tradições sociológicas

CROTTY, Michael. The Foundations of Social Research: Meaning and Perspective in the Research Process. Londres: Sage, 1998.

DELANTY, Gerard; STRYDOM, Piet. Philosophies of Social Science: the Classic and Contemporary Readings. Philadelphia: McGraw-Hill/Open University Press, 2003.

GIDDENS, Anthony; TURNER, Jonathan (org.) Teoria social hoje. São Paulo: Edunesp, 1999.

TURNER, Stephen; ROTH, Paul. The Blackwell Guide to the Philosophy of the Social
Sciences. Londres: Wiley-Blackwell, 2003.

RITZER, George; SMART, Barry. Handbook of social theory. Londres: Sage, 2001.

One thought on “Paradigmas em ciências sociais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

About leonardomalves