Suécia na década de 1860

Um panorama da sociedade sueca na época da nascente industrialização.

13913729_600400060139160_179379560662209295_o.jpg

  • Na Suécia há uma população de 4 milhões de habitantes;
  • Ninguém precisa de “passaporte” para entrar no país;
  • O país tem diferentes fusos horários, por exemplo, entre Gotemburgo e Estocolmo, havia uma diferença de 24 minutos;
  • 2 entre 3 suecos moram no campo e trabalhavam com agricultura;
  • A expectativa de vida para as mulheres é de 50 anos e para os homens era de 45 anos;
  • Após a fome que abateu o país (1867-68) muitos emigram para os Estados Unidos;
  • Crianças pobres são transferidas para famílias de acolhimento, o que custava mais barato para a cidade;
  • Nas cidades, a diferença entre áreas para ricos e pobres aumenta;
  • [A educação geral obrigatória] “Escola para todos” completa 20 anos. Muitos frequentam as escolas por um período curto;
  • Muitas crianças trabalham, principalmente nas fábricas de palitos de dente e em serrarias. No campo/interior, as crianças são obrigadas a ajudar os pais com o trabalho braçal;
  • Em algumas partes da Suécia existem statare*. Eles trabalham para grandes fazendas mas não recebem salário em dinheiro, mas sim em forma de moradia e alimentação;
  • No ano de 1864, uma lei proíbe o homem de bater em sua esposa. No entanto, o senhor [“de engenho”] ainda tem direito de bater em serviçais e em jovens trabalhadores agrícolas;
  • Mulheres solteiras eram emancipadas (atingia a maioridade) aos 25 anos. Mulheres casadas não se emancipavam. Mulheres não têm direito ao voto;
  • Em 1864, é liberado comércio e artesanato. Todos que quisessem ou tivessem condições poderiam se tornar artesãos ou abrir um negócio. O comércio no interior também é liberado;
  • A Suécia está dividida em cidades e é contemplada com um parlamento moderno;
  • A maioria dos suecos sabem ler;
  • Alfred Nobel inventa a dinamite 1866;
  • O rei Carlos XV e a rainha Lovisa reinam na Suécia e na Noruega;
  • No ano de 1863 é introduzido o casamento civil na Suécia. O casamento não mais era necessário ser realizado na igreja;
  • Em 1860 torna-se proibido produzir álcool em casa;
  • Café é algo que se bebe em muitas casas, mas ainda não é uma bebida popular entre os pobres.

*statare eram trabalhadores agrícolas, na Suécia dos séculos XVIII, XIX e XX, caraterizado por uma sujeição patriarcal ao patrão e uma remuneração em forma de “casa, alimentação e roupa”, no latifúndio em que viviam e trabalhavam.

Cartaz (traduzido livremente) exibido em exposição sobre a cidade de Södertälje no museu Torekällberget i Södertälje. Retirado do  perfil do fb Enquanto isso, na terra dos vikings sem baratas.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

About leonardomalves