Os estágios da história para Marx

A visão de que a história prossegue um curso evolucionista com começo e fim teve seu auge com teóricos do século XIX. Como parte desse esquema, vários estágios foram propostos, entre eles o de Karl Marx (1818—1883). Segundo Marx, principalmente em seus escritos econômicos (A Crítica da Economia Política, A Ideologia Alemã, Grundrisse, O Capital), haveria seis estágios em que a história se desenvolveu com uma dialética de concepção hegeliana: o materialismo histórico. Nesse processo dialético um estágio com predominância de um modo de produção criaria sua própria contradição socioeconômica e posteriormente sua síntese, o outro estágio. O modo de produção seria o critério determinante de cada etapa. Nos escritos iniciais, a base analítica foi a divisão do trabalho em uma evolução unilinear, já nas obras posteriores Marx apresentam uma complexidade de relações tendo a propriedade privada como base analítica.

1. Comunismo primitivo

As pessoas viviam sob a mesma economia caçadora-coletora. A propriedade era comunal, portanto, sem propriedade privada. Havia um igualitarismo político. Com o tempo, os caçadores líderes ganharam poder e controle sobre os outros.

2. Imperialismo escravocrata

Com os autocratas no poder, começou-se a apropriação de terra. Com o surgimento do Estado, o governante passou a distribuir terras em troca de serviços militares, formando uma aristocracia militar fundiária dependente da mão-de-obra escrava. A divisão de classes se consolidou em Estados que alternavam entre repúblicas e autoritarismo.

3. Feudalismo

O Estado faliu como instituição, mas a propriedade da terra continuou com a aristocracia hereditária que explorava os camponeses servos presos à terra. Com a venda do excedente emergiu as classes de comerciantes e capitalistas que se aliaram aos reis para formar os estados nacionais.

4. Capitalismo

Os comerciantes e donos de fábrica (burguesia) obtiveram o poder político e passara a explorar os trabalhadores (proletariado). Como o proletariado tornou-se politicamente consciente que iria se levantar e derrubar o governo burguês. Surgem a burocracia estatal, as instituições financeiras, o trabalho assalariado e a revolução industrial. A propriedade privada renasce e a economia é orientada pelo mercado.

5. Socialismo

No quinto estágio da história, que para Marx aconteceria com o colapso do capitalismo por suas próprias contradições, haveria uma ditadura do proletariado como organizações de trabalhadores redistribuídos alimentos, bens, serviços e lucros de forma justa de acordo com a necessidade. As classes médias promoveriam a propriedade comunal como superior à propriedade privada. A economia seria descentralizada e planificada. Os vales de trabalho substituiriam a moeda, tornando as instituições financeiras obsoletas.

6. Comunismo

No último estágio da história, o mundo se uniria para o bem comum. Assim, a propriedade, a moeda e o Estado não seriam mais necessários e sociedade seria sem classe. Como todos os países chegaram a esta fase, a concorrência e a guerra se tornariam passado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

About leonardomalves