Países que se separaram do Brasil

Um pequeno almanaque dos países efêmeros que existiram ou foram propostos no território brasileiro.

Singularmente, o Brasil não seguiu o caminho das ex-colônias espanholas das Américas. Não fragmentou após a independência. No entanto, não foi por falta de tentativas. Vários movimentos separatistas e estados independentes efêmeros existiram ou foram propostos nessas paragens.

Alguns países foram momentos de resistências populares, outras sublevações de elites locais. Movimentos indígenas e africanos não constituíram estados, mas chefaturas, com reis ou líderes eletivos ou para a ocasião de guerra. Houve estados de flibusteiros no Amapá, Acre e na Ilha de Trindade, monarquias e repúblicas de fato ou de jure. Teve ocasiões de reinos místicos de inspiração sebastianistas.

Segue uma lista dos países que são notas de rodapé da história do Brasil.

Países que se separaram do Brasil

Confederação do Cariri. Os povos cariris e outros grupos indígenas se aliaram em uma confederação entre 1682 e 1713 nos sertões do Rio Grande do Norte, Ceará e Paraíba. Por um tempo, a Confederação enfrentou bandeiras dos luso-brasileiros. Capital:  ?. Regime político: cacicado. Reconhecimento: nenhum. Moeda: ?

Confederação do Equador formada em reação à dissolução da Assembleia Constituinte por d. Pedro I. Em 2 de julho de 1824, o líder liberal pernambucano Manoel de Carvalho proclamou a independência da província de Pernambuco e convidou às vizinhas para se unirem à Confederação do Equador. Entretanto, somente algumas vilas da Paraíba e do Ceará aderiram ao novo projeto. A Confederação provisoriamente usaria a constituição da Colômbia (embora seja disputado isso) e emanciparia os escravos. Em 17 de setembro de 1824 as forças imperiais acabaram com o movimento separatista. Capital: Recife. Regime político: república confederada. Reconhecimento: nenhum. Moeda: ?

Confederação dos Tamoios. Chefatura que confederou os povos tupinambás, goitacazes e aimorés entre 1554 a 1567, sob liderança de Cunhambebe. O território compreendia o litoral entre Bertioga e Cabo Frio, bem como partes do Vale do Paraíba do Sul, exceto a Baía de Guanabara, ocupada pelos aliados franceses. Capital:  Mangaratiba. Regime político: cacicado. Reconhecimento: França Antártica. Moeda: ?

Estado dos Malês. Teria sido o suposto objetivo da revolta dos Malês em Salvador em 24 de janeiro de 1835, o de constituir um estado africano e muçulmano na Bahia. Capital: Salvador. Regime político: monarquia? Reconhecimento: nenhum. Moeda: ?

Federação do Guanais. O líder baiano Bernardo Miguel Guanais Mineiro entre fevereiro de 1832 e abril de 1833, controlou as vilas de São Félix e Cachoeira, implantando uma república e bombardeando Salvador. Acabou fugindo depois para o sertão. Capital: vilas de São Félix. Regime político: república. Reconhecimento: nenhum Moeda: ?

Inconfidência Mineira. Desbaratada em 1789, não chegou a ser constituída como estado de fato ou de jure. Há dúvidas se as ambições eram para formar uma República das Minas Gerais, com saída pelo mar via Rio de Janeiro, ou se planejavam a independência para todo o Brasil. Capital: Ouro Preto. Regime político: república. Reconhecimento: nenhum. Moeda: ?

Liga de los Pueblos Libres, Liga del Litoral ou Liga Federal (1815–1820). Na guerra da independência do Rio da Prata, esta república existiu sob liderança do caudillo José Gervasio Artigas (1764–1850), defendendo um federalismo autônomo contra os portenhos e os brasileiros. Compreendia partes da Mesopotâmia Argentina, a Província da Cisplatina que incorporaria o oeste da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul. Cada uma das províncias – Córdoba, Corrientes, Entre Ríos, la Provincia Oriental, Santa Fe e Misiones –era independente, sendo Artigas o Protector de los Pueblos Libres, responsável  pelas relações exteriores, gestão das assembleias provinciais e do comando militar. Realizou uma das primeiras reformas agrárias do continente. Os governos de D. João VI do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves e os unitários das Províncias Unidas do Rio da Prata invadiram a região em 1817 com 10 mil soldados e dissolveram a Liga Federal. Porém, mais tarde a iniciativa fruiu na República Oriental del Uruguay. Capital: Purificación. Regime político: república federal. Reconhecimento: ? . Moeda: peso, real, sol.

Monarquia Celeste (do Contestado) na região disputada entre Santa Catarina e Paraná. O movimento messiânico levou a formação de uma monarquia celeste em 1913, cujo rei, Monge José Maria, reinava no plano espiritual enquanto o comandante Adeodato Manoel Ramos liderava seus súditos nessa vida. A guerra contra os governos estaduais e federal durou até setembro de 1916, com um massacre contra a Monarquia Celeste.  Capital: Taquaraçu (Curitibanos), depois Santa Maria (Leblon Regis). Regime político: monarquia sebastianista. Reconhecimento: nenhum. Moeda: ?

Principado de Trinidad. O aventureiro franco-americano James Harden-Hickey (1854-1898) tinha feito a fortuna com esquemas na França e em 1893 passou pela Ilha de Trinidade, pertencente ao Brasil. Ao ver que a ilha estava despovoada, proclamou-se Rei James I of Trinidad e anunciou terras para colonos no jornal Times de Londres. Abriu uma representação consular em Nova Iorque e passou a vender títulos de dívida pública. Os britânicos, temendo perder uma colônia que sequer era deles, anexaram a ilha no ano seguinte. O Brasil protestou e recuperou a ilha em 1896. Furioso, o rei James I Harden-Hickey tentou reaver seu reino, mas acabou se suicidando. Capital: Ilha de Trindade. Regime político: monarquia. Reconhecimento: nenhum. Moeda: franco.

Quilombo do Campo Grande ou Quilombo do Ambrósio. Formado por pretos forros e brancos pobres na região do Alto São Francisco e Alto Paranaíba em Minas Gerais na década de 1720. Inicialmente, era uma região tributária das capitanias de Minas Gerais e São Paulo, mas com o notável crescimento (chegou a ter 27 vilas), foi atacado pelas forças coloniais e destruído em 1759 e seu Rei Ambrósio morto. Capital: Povoação do Ambrósio. Regime político: monarquia. Reconhecimento: nenhum. Moeda: ?

Quilombo do Quariterê ou da Carlota. Quilombo nas regiões de Vila Bela do Mato Grosso, fundado por volta de 1770. Teve uma mulher como rainha, Teresa do Quariterê ou de Benguela. Foi destruído em 1795, mas ainda os descendentes e as sucessoras de Teresa mantém a dinastia viva no congado de Vila Bela. Capital: Quariterê. Regime político: monarquia. Reconhecimento: nenhum. Moeda: ?

Quilombo dos Palmares. O quilombo teria sido iniciado por volta de 1605, na Serra da Barriga, então capitania de Pernambuco. Sua área de alcance foi desde o sul pernambucano, Alagoas, parte dos atuais Sergipe e norte baiano. Organizado como uma chefatura ou monarquia eletiva do oeste da África, foi destruído em 1694, depois de quase quarenta anos de resistência. Capital: Cerca Real do Macaco. Regime político: monarquia eletiva. Reconhecimento: nenhum. Moeda: ?

Reino de São Paulo. A aclamação de Amador Bueno em 1641, na vila de São Paulo, propunha criar um reino independente. A história é meio nebulosa: a elite espanhola da cidade não ficou contente com a Restauração dos Braganças e pretenderam se emancipar. A coroa foi oferecida ao espanhol Amador Bueno da Ribeira (c. 1584 — c. 1649) que recusou o posto de rei e se escondeu no mosteiro de São Bento. Não há detalhes do território pretendido, mas supostamente compreenderia as terras da Capitania de São Vicente.  Capital: São Paulo. Regime político: monarquia. Reconhecimento: nenhum. Moeda: ?

Reino Encantado de Pedra Bonita. O movimento messiânico na área rural de São José do Belmonte, no Pernambuco em 1836 fundou um reino místico sebastianista na Serra Formosa. Seu rei João Antônio dos Santos proclamou leis próprias e cingia uma coroa de cipós e pregava que logo Dom Sebastião ressurgiria, tão somente fosse feito sacrifício humano nas pedras encantadas. O movimento teve seu fim trágico. Ariano Suassuna incorporou o reino efêmero em suas obras, contada pelo personagem Dom Pedro Dinis Ferreira Quaderna. Capital: Pedra Bonita. Regime político: monarquia sebastianista. Reconhecimento: nenhum. Moeda: ?

República Bahiense, República Baiana, República da Bahia. Organizada em novembro de 1837, liderada pelo médico Francisco Sabino. Um grupo armado tomou Salvador e proclamou a república, a qual seria provisória até a maioridade de d. Pedro II. Forças de jagunços a mando da oligarquia baiana atacaram a cidade enquanto a marinha imperial brasileira bloqueou a entrada pelo mar. Em março de 1838, a sabinada chegou ao fim quando em quatro dias de luta a cidade foi recapturada e Sabino executado. Capital: Salvador. Regime político: república. Reconhecimento: nenhum. Moeda: ?

República de Cunani é tipo herpes. Volta e meia aparece. A região do Amapá, norte do Pará e  Guiana Francesa foi efemeramente uma república independente por algumas vezes. Desde o Tratado de Utrecht, a região era disputada pelos franceses e luso-brasileiros. Aproveitando dessa incerteza política, em 1886 o jornalista francês e secretário da Société de géographie Jules Gros (1809-1891) se proclamou presidente vitalício da République de la Guyane indépendante e comissionou os exploradores Jean Ferréol Guigues e Paul Quartier estabelecer a república na vila de Cunani, na foz do Oiapoque e explorar o ouro. Enquanto isso, Gros montou um escritório em Paris, emitia selos, moedas e comendas. A população brasileira da região, negra ou cabocla, no geral apoiou a iniciativa, que previa a liberdade de todos. O governo francês resolveu por um basta nos planos de Gros em 1887 e a desavença dos administradores acabaram a primeira república. Gros e Guigues reorganizaram a segunda república, mas o estado duraria até 1891, quando a morte de seu chefe. Em 1895 foi descoberto ouro na região, iniciando a questão do Amapá, de disputa entre o Brasil e França. Outro aventureiro, o mercenário Adolphe Brezet visitou a região e em 1901 proclamou o État libre de Counani. As forças brasileiras desbarataramo empreendimento e Brezet voltou à França, onde em um hotel parisiense, com os títulos de Uayana Assu (grande cacique), duque de Brezet e de Beaufort, visconde de São João, reconstituiu o governo no exílio. Abriu embaixadas em Paris, Londres, Roma, Berlim e Madrid. Desde 1992 parte da região é reivindicada pelo Estado de Porto Claro, uma micro-nação humorística composta principalmente por brasileiros. Capital: Cunani. Regime político: república. Reconhecimento: o Estado Livre foi reconhecido pelas Repúblicas Bôeres da África do Sul. Moeda: franco de Cunani.

República de Manhuassu ou República de Manhuaçu este país efêmero existiu entre 15 de maio e 7 de junho de 1896 em Manhuassu, no leste de Minas Gerais. Serafim Tibúrcio da Costa, um coronel local, descontente com os resultados da eleição municipal, reuniu 800  homens e proclamou a independência. Emitiu dinheiro e restribuiu terras na divisa com o estado do Espírito Santo. As tropas federais acabaram logo com o movimento e o coronel Tibúrcio fugiu para o Espírito Santo. Capital: Manhuaçu. Regime político: república. Reconhecimento: nenhum. Moeda: boró.

República de Pernambuco. A elite pernambucana em 1817 se revoltou contra o governo dos Braganças, demandando uma constituição e um regime republicano liberal. Foi constituído um governo provisório, uma junta de líderes como Domingos José Martins e Frei Caneca e padre José Inácio Ribeiro de Abreu e Lima. Enviou o primeiro diplomata para os Estados Unidos, Antônio Gonçalves da Cruz Cagubá, para obter reconhecimento dos americanos, adquirir suprimentos e armas e contratar mercenários franceses. Apesar de não ter logrado seus objetivos, Cabugá permaneceu em Philadelphia, como encarregado de negócios e, com a independência do Brasil, esse mulato seria nomeado o primeiro representante diplomático do país. Capital: Recife Regime político: república. Reconhecimento: nenhum. Moeda: ?

República de Princesa ou Território Livre de Princesa foi um território que entre 28 de fevereiro de 1930 e 11 de agosto de 1930 se separou da Paraíba e constituiu-se um estado associado com o Brasil, sob presidência de José Pereira Lima. Teve seu hino, bandeira, jornal, moeda e leis próprias. Capital: Princesa (Santa Izabel, PB). Regime político: república. Reconhecimento: reconhecimento parcial do governo federal e do estado de Pernambuco. Moeda: ?

República de Quixeramobim. A câmara municipal desse município cearense no dia 9 de janeiro de 1824, declarou o fim da dinastia dos Braganças e proclamou uma República. Nos meados do ano se uniu à Confederação do Equador. Capital: Quixeramobim. Regime político: república. Reconhecimento: nenhum. Moeda: ?

República do Acre ou Estado Independente do Acre. Situado em território reconhecidamente boliviano desde o Tratado de Ayacucho em 1867, o Acre atraiu brasileiros com o boom da borracha. As desvanenças entre a população majoritariamente brasileira e as autoridades bolivianas levaram a formação da república em 1899, liderada  pelo jornalista espanhol e ex-diplomata Luis Gálvez Rodríguez de Arias. Logo, um seringalista, Antônio de Sousa Braga, deu um golpe, mas desistiu do poder e devolveu a presidência a Gálvez. Gálvez fez reformas nas leis civis, pretendia criar escolas e hospitais e esperava apoio do Brasil. Entretanto, o governo brasileiro não queria encrenca com os bolivianos e enviou tropas para prender Gálvez. Decididos a continuar a república, a classe média manauense enviou a Expedição dos Poetas. Assim, em novembro de 1900, um tal Rodrigo de Carvalho proclamou a Segunda República do Acre, mas pouco durou. Em 1901, o governo boliviano arrendou o Acre a investidores americanos, os quais passariam a ter o monopólio da extração da borracha. O brasileiro José Plácido de Castro organizou um exército com 2 mil soldados, expulsou os bolivianos e em 1903 foi proclamado presidente da Terceira República do Acre.  Dessa vez, o governo brasileiro se interessou pela causa. No dia 11 de novembro de 1903, com o Tratado de Petrópolis, a República ainda que não reconhecida,  seu território foi incorporado ao Brasil. A anexação ocorreu formalmente a 25 de fevereiro de 1904 e Plácido de Castro seria seu primeiro governador. Capital: Puerto Alonso (Porto Acre). Regime político: república. Reconhecimento: a 3ª república teve reconhecimento limitado pelo Brasil. Moeda: mil réis brasileiro.

República do Crato. Durante a Revolução Pernambucana, o subdiácono e seminarista José Martiniano de Alencar, proclama a república a 3 de maio de 1817.  Por oito dias o estado resistiu até ser reincorporado ao Brasil, pelas forças de um fazendeiro da região e desafeto da família Alencar. Capital: Crato. Regime político: república. Reconhecimento: nenhum. Moeda: ?

República do Grão-Pará.  Existiu entre e 1835 1840, liderado por Eduardo Angelim, chefe dos cabanos. Durante a revolta, os interesses das camadas mais pobres — índios, caboclos, negros e brancos pobres — foram priorizados. Capital: Belém. Regime político: república. Reconhecimento: nenhum. Moeda: ?

República dos Pastos Bons. Por três vezes  — nos anos 1828, 1840 e 1880  — a região sul do Maranhão, sudeste do Pará, sul do Piauí e norte do Goiás (atual Tocantins) se proclamou independente. Capital: Grajaú. Regime político: república. Reconhecimento: nenhum. Moeda: ?

República Guaranítica. Os Sete Povos das Missões era um território jesuíta vassalo da Espanha e abrigava a população guarani. Mas em 1750 o Tratado de Madrid passou a região aos portugueses m troca da Colônia do Sacramento, cedida aos espanhóis. Sabedores que seriam reduzidos à escravidão, os povos guaranis quiseram continuar autônomos e fizeram a Guerra Guaranítica entre 1753 e 1756, liderados por Sepé Tiaraju. Capital:  ?. Regime político: república teocrática. Reconhecimento: nenhum. Moeda: ?

República Juliana. Estado-fantoche criado durante a Guerra dos Farrapos em 1839, no litoral sul de Santa Catarina. Capital: Laguna. Regime político: república. Reconhecimento: República de Piratini. Moeda: réis.

República Oriental del Uruguay. Antiga Colônia do Sacramento e depois Província da Cisplatina, foi ocupada pelos espanhóis, argentinos e teve independência efêmera com a Liga Federal. Em 1825 proclamou sua independência, sendo reconhecida em 1828 pelo Brasil e Argentina. Foi o único território brasileiro que logrou conquistar e manter sua independência. Capital: Montevidéu. Regime político: república. Reconhecimento: Todos os países da ONU. Moeda: peso.

República Riograndense ou República Piratini. Criada durante a Guerra dos Farrapos, existiu entre 1836 e 1845, sendo o estado separatista que mais durou fora do Brasil (tirando o Uruguai). Encerrou com o tratado de Poncho Verde, que reintegrou a república gaúcha ao Brasil. Capital: Piratini, Piratini Caçapava do Sul, Alegrete, São Gabriel Regime político: república. Reconhecimento: Uruguai e República Juliana. Moeda: ?

Sereníssima República de Olinda. Durante a Guerra dos Mascates no dia 10 de novembro de 1710, Bernardo Vieira de Melo, com apoio de Leonardo Bezerra e Sebastião de Barros Rego, derrubaram o pelourinho, símbolo do domínio português, e propuseram a república aos moldes da Sereníssima República de Veneza. A ideia não foi desenvolvida e logo o conflito acabou. Capital: Olinda. Regime político: república plutocrática. Reconhecimento: nenhum. Moeda: ?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

About leonardomalves