Formate e gerencie suas citações e referências

Guia-para-normalização-3D

Referenciar e citar de forma apropriada textos acadêmicos é umas coisas mais chatas porém  necessárias a quem escreve para o público universitário.

Diferente da prosa não ficção, quem escreve artigos, monografias, dissertações e teses deve ter um esmero de possibilitar ao leitor localizar as fontes de seu argumento. Enquanto o ensaio era para Ortega y Gasset a “ciência sem a prova explícita”, ou seja, voltado à reflexão e provocação, os textos científicos podem (e devem) ter impactos duráveis nas vidas das pessoas. Seja em receitas de nutrição hospitalar, seja em uma peça judicial, essas ligações intertextuais são vitais para integrar o corpo de conhecimento, permitindo a falseabilidade das premissas textuais. Além disso, são um respaldo contra o plágio involuntário. Para cumprir essas obrigações cuidadosas, eis algumas dicas que facilitarão a vida.

Textos clássicos

Geralmente obras da Antiguidade clássica greco-romana, filosofia e textos sacros possuem suas próprias convenções de citação e referência.

Dói aos olhos ver “ARISTÓTELES, 2014, p.199” ou “BÍBLIA SAGRADA, 2003, p.1825”. Ao invés disso, use “Ética a Nicômaco IV.3” ou “Atos dos Apóstolos 3:18”.

Esses gêneros textuais normalmente dividem-se em livros, capítulos, parágrafos, seções e versículos. Se necessário, coloque na bibliografia, obras citadas ou referências os detalhes das versões e edições empregadas em seu texto.

Guias de estilos em língua inglesa

Em inglês não há um padrão tão unificado como a ABNT do Brasil, havendo estilos especifícos para cada área. Entre outros, há o Harvard, Chicago Author-Date, Council of Science Editors (CSE), American Chemical Society (ACS), American Medical Association (AMA) e o American Sociological Association (ASA). Apesar dessa profusão de estilos, os três mais comuns são o Turabian/Chicago, American Psychological Association (APA) e o Modern Language Association (MLA).

Os principais estilos e suas aplicações são essas:

  • APA: psicologia, educação e outras ciências sociais.
  • MLA: literatura, artes e humanidades.
  • Chicago: história, humanidades e para escrita não acadêmica.
  • Turabian: uma adaptação do estilo de Chicago para fins universitários.
  • AMA: medicina, ciências da saúde e biológicas.

Guias de estilo que aceitam a ABNT

A Associação Brasileira de Normas Técnicas é a principal orientadora das padronizações técnicas e científicas no Brasil. Embora elaborada, praticamente, por engenheiros aplica-se muito bem às humanidades. A ABNT NBR 10520:2002 e a NBR 6023/2018 sãos os principais documentos que regem as referências em vigor. A mais recente norma para redação acadêmica, a NBR 14724 de 2011 entrou em vigor em 2016. Mas são penosos de se usar. Algumas maneiras mais amigáveis de aplicar a ABNT são as seguintes:

Para gerir esses diferentes estilos, algumas ferramentas onlines são bem úteis:

Gerenciadores de citações e referências

São ferramentas, muitas com versão app, online e offiline, para gerenciar as citações e referências de modo preciso. Todos tem algum tipo de plugin que o Word ou outros editores de texto decentes aceitam.

  • Mendeley gerenciador que tem a vantagem de ter a versão offline e permitir a gestão de arquivos em PDF.
  • Zotero outro gerenciador de arquivos, citações e referências.
  • EndNote é um gerenciador profissional (e pago) de dados bibliográficos. A versão web é gratuita.
  • Citavi é um gerenciador de informação que permite anotar PDFs, salvar citações, escrever notas e gerenciar citações e referências. A vantagem em relação a outros softwares de gestão é que se pode editar o estilo de citação, adequando-os às atualizações ou se o programa não tiver o formato necessário para um estilo da casa.

O formato dos dados nesses gerenciadores é em CSL (Citation Style Language), com base no XML,  como .RIS ou .BibTex.

Para converter suas bibliografias já prontas em texto simples, o site https://anystyle.io/ permite colar em texto simples, realizar as adequações e baixar em formato CSL, pronto para importar para o seu gerenciador de referências de seu gosto.

Uso de indicadores DOI e OrcID

Esses indicadores são links permanentes. O DOI serve para texto, imagens, base de dados publicados em endereços definitivos na internet. O OrcID identifica o autor de modo inequívoco.

Caso a obra referenciada apareça com DOI ou OrcID, é de boa prática mencioná-los.

E um modo de checar se há DOI atribuído ao seu artigo é colando a referêncai no site da CrossRef: https://search.crossref.org/references

 * * *

Outra dica importante: baixe o plugin Botão do Google Acadêmico (Google Scholar Button)

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

About leonardomalves