Livros e cronologia da Revolução Russa

rev russa.pngUm século depois da Revolução Russa os eventos (e suas interpretações) do conturbado 1917 ainda são controversos. De estado periférico o sucessor estado soviético transformou-se em um império global, banhando em sangue, como todo império. Mais que uma revolta de peões, a revolução russa mudou as regras do jogo e viabilizou ideias que, dentre muitas do século XIX, seriam somente utopias. Com tantas coisas em tão pouco tempo, demandam diversas leituras sobre o episódio para formar uma opinião justa.

 FIGES, Orlando. A tragédia de um povo: a revolução russa, 1891-1924. Rio de Janeiro: Record, 1999.

O início e o fim da revolução é discutido nesse livro. O historiador britânico coloca na voz de pessoas diversas a tragédia pessoal e coletiva do povo russo durante a revolução, a qual o autor delimita no fin-de-siècle, entre 1890 e 1924. Reconstruído com dados provenientes de arquivos disponibilizado depois de 1991, ilustra com várias fotos seu argumento de que ela foi um tragédia para a população russa.

 WILSON, Edmund. Rumo à estação Finlândia. Tradução de Paulo Henriques Britto. São Paulo: Cia das Letras, 1986.
A transformação de ideias utópicas à emergência da União Soviética foi retratada na vida, ativismo e pensamento de  uma cadeia de personagens históricos que ligam as revoluções francesa e russa. Escrita por um jornalista, escritor e historiador yankee desiludido com o comunismo de Stalin, a avaliação de Wilson termina na chegada de Lênin à Rússia, às vésperas da revolução.

 REED, John. Dez dias que abalaram o mundo. São Paulo: Cia das Letras, 1986. Outra edição, Porto Alegre, L&PM, 2002.

Para quem quer uma perspectiva de quem participou dos movimentos de rua de Moscou em 1917, esse é o livro. O repórter educado em Harvard, John Reed, era experiente com conflitos. Cobriu a Revolução Mexicana e a Primeira Guerra Mundial antes de chegar a Moscou, onde se aproximou de Lênin e Trotsky. Testemunha de primeira mão dos eventos que levaram os bolcheviques ao poder. Virou filme com Jack Nicholson.

 RANSOME, Arthur. Six Weeks in Russia in 1919  Londres:  G. Allen & Unwin, 1919. 

Outra reportagem de um literato que visitou a Rússia para aprender sobre seu folclore e acabou virando um jornalista de guerra. O relato de Ransome resulta do contato vívido com líderes revolucionários. Embora simpático à revolução, não hesitou em colaborar com a inteligência britânica.

 PIPES, Richard. História concisa da Revolução Russa. Rio de Janeiro: Record, 1997.

Um panorama que também analisa as causas e impactos desse evento. Pipes centra-se nas ações da intelligentsia – o pequeno grupo de intelectuais ativistas – que fomentaram a guerra civil e conquistaram ao poder enquanto as massas sofreram sem saber ao certo o que se passava.

 PASTERNAK, Boris. Doutor Jivago. Tradução de Zoia Prestes. Rio de Janeiro: BestBolso, 2013.
Romance histórico que retrata o amor dividido de um médico aristocrata entre duas mulheres, sua amiga Tonya e a operária Lara. O casamento mal-arranjado de Lara com o pobre poeta revolucionário Pascha (e depois vilão) complica ainda mais as vicissitudes de Victor Jivago. Publicado na Itália em 1957, foi lançado às telas em 1965 com Omar Sharif e, recentemente, (2002) com Keira Knightley.

 SOLZHENITSYN Aleksandr. Lenine em Zurique. Lisboa: Dom Quixote, 1976.

Outro romance histórico. O famoso autor dissidente soviético retrata em capítulos aparentemente não relacionados o cotidiano de Lênin em seu exílio em Zurique, pouco antes de voltar à Rússia.

 SMITH, S.A. Revolução Russa. Porto Alegre: L&PM, 2013.
Originalmente escrito por esse historiador britânico para a coleção Very Short Introduction da Oxford University Press, Smith apresenta ao público leigo os episódios de 1917, suas circunstâncias e efeitos.

 TROTSKY, Leon. A história da Revolução Russa. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1977.

A perspectiva de um dos protagonistas, escrita quando já temia que os expurgos de Stálin iriam falsificar a história (como de fato fizeram). A narrativa básica que retrata as más condições de vida dos camponeses e operários, uma burocracia corrupta e inepta, jovens idealistas e a implantação do regime soviético.

 MONTEFIORE, Simon Sebag. Os Romanov. Cia das Letras, 1916. 

Sem conhecer a dinastia extinta com a revolução é impossível compreender esse evento.   A ascensão e vida de vinte tzars que levaram um principado pobre e congelado a um império continental atinge seu ponto dramático com a queda de Nicolau II e a subsequente morte dele e de sua família em 1918.

 SMITH, Douglas. Rasputin: The Biography. New York: Farrar, Straus and Giroux, 2016.
Esse retrato do místico um tanto carnal e manipulator Rasputin é mais realista, mas não menos estarrecedor.

 RAPPAPORT, Helen. As irmãs Romanov. Objetiva, 2016.            

Uma rara perspectiva feminina por uma historiadora sobre as filhas do Tzar, as grã-duquesas Olga, Tatiana, Maria e Anastasia culminando na morte brutal delas em 1918.

 STEINBERG, Mark e KHRUSTALEV,Vladimir. A Queda dos Romanov. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1996.

O primeiro livro denso que li sobre a revolução russa. Baseado em documentos e análises pós-soviéticas, revela uma família vítima da alienação com seu país.

CRONOLOGIA DA REVOLUÇÃO RUSSA

1861 – Emancipação da servidão

1894 – Tzar Nicolau II coroado

1895 – Lênin exilado após seu irmão se envolver em uma conspiração para matar o Tzar

1898 – fundação do partido Social-Democrata dos Trabalhadores Russos

1903 – Reunião do partido Social-Democrata dos Trabalhadores Russos, dividindo-se entre mencheviques (moderados) e bolcheviques (revolucionários).

1905 – Domingo Sangrento. A polícia tzarista abre fogo contra uma manifestação pacífica pedindo reformas. O Tzar promete uma constituição democrática, mas acaba dissolvendo a Duma e os sovietes de Petrogrado e Moscou

1908 – Rasputin se infiltra na casa real

1914 – Início da 1a Guerra Mundial, Nicolau comanda o exército contra os poderes centrais

1916 – Assassinato de Rasputin

1917- Janeiro: greve com mais de 150 mil trabalhadores russos

1917- Fevereiro: protestos, greves e repressão

1917- Fevereiro: no dia 19 o governo decreta o racionamento de comida, gerando um pânico

1917- Fevereiro: nos dias 25 e 26 a polícia e o exército abrem fogo contra os grevistas

1917- Fevereiro: no dia 27 soldados se revoltam contra seus superiores em Petrogrado.

1917- Fevereiro: no dia 28 a Duma (parlamento) e o soviete (conselho) de Petrogrado articulam um plano de ação e um governo provisório

1917 – Março: no 1º os governos da Rússia e França reconhecem o novo governo provisório.

1917 – Março: Nicolau II tenta renunciar ao trono em favor do irmão, que rejeita o cargo

1917 – Março: no dia 9 a família Romanov é posta em prisão domiciliar

1917 – Março: o governo provisório decreta o fim da pena de morte no dia 12

1917- Abril: Lênin chega do exílio

1917- Junho: ofensiva do governo provisório contra a frente austro-húngara acaba em 400 mil mortes do lado russo

1917- Julho: o povo revolta-se contra o governo menchevique e Lênin tenta tomar o poder

1917 – Agosto: vasa a notícia que o general Kornilov pretende usar o exército para erradicar o país dos bolcheviques

1917- Setembro – greves e crise no partido crescem

1917 – Outubro: dia 10, os bolcheviques iniciam a tomada do poder

1917 – Outubro: dia 25, os bolcheviques derrubam o governo provisório

1917 – Outubro: dia 26, Lênin decreta a reforma agrária e a saída imediata da Rússia da guerra

1917 – Novembro: abolição dos privilégios e extinção da nobreza. Eleição para uma assembleia constituinte

1918 – Tratado de Brest-Litovsk retira a Rússia da 1ª Guerra

1918 – 1/14 de fevereiro: adoção do calendário gregoriano

1918 – Fundação do Partido Comunista

1918-1920 – Guerra civil entre os russos brancos (antirrevolucionários)

1922 – Fundação da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas

1924 – Morte de Lênin

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

About leonardomalves