Categoria: Resenha

“Ostentação é comprar aquilo que você não quer, para mostrar pra quem você não gosta com o dinheiro que você não tem”. Esse aforismo anônimo sumariza acertadamente a ideia de Thorstein Veblen dos impulsos que movem o consumismo no livro A Teoria da Classe Ociosa, o qual publicado em 1899 se mantém incomodamente atual.

Afirma Pereira e Trem noturno para Lisboa são obras paralelas. Ambientadas no Portugal salazarista, mostram o lado humano da resistência ao autoritarismo, foram escrita por estrangeiros lusófilos, viraram filmes, retratam reconciliações com o passado e com os mortos…

No fundo da China existe um mandarim mais rico que todos os reis de que a fábula ou a história contam. Dele nada conheces, nem o nome, nem o semblante, nem a seda de que se veste. Para que tu herdes os seus cabedais infindáveis, basta que toques essa campainha, posta a teu lado, sobre um livro. Ele soltará apenas um suspiro, nesses confins da Mongólia. Será então um cadáver: e tu verás a teus pés mais ouro do que pode sonhar a ambição de um avaro. Tu, que me lês e és um homem mortal, tocarás tu a campainha?